Machado

  • 11
Com você do meu lado,
Eu sinto o que não pensei entender.
Que a noite passou rápido,
Que minha mão e a tua são um laço.

Desempenhar

  • 18
Você alguma vez se perguntou por que
Faz sempre aquelas mesmas coisas sem gostar? _Raul Seixas


Uma linha que cruza um canto distante,
Um canto do fundo de alguém que nunca vi.
Uma linha que se nota de longe,
E não se consegue decifrar.

Ela não consegue compreender coisas óbvias,
Talvez coisas óbvias não existam.
Ela escuta um som suave, e pode até imaginar
Que coisas leves podem ser pesadas.

Uma linha que continua indecifrável,
Não tão contínua...
Uma linha que cruza um canto distante,
Um canto do fundo de alguém que nunca vi.

Uma Fala

  • 7
Você lembra o cheiro do mar,
Você lembra.

Você é agora tudo em que eu acreditava há um tempo,
Pensei que fosse me ler em alguém
Então, ganhei de uma nova paixão,
Um gosto de nova ilusão, que não aconteceu.

Evitei o esplendor de senti.

Você é como flor dos trigais,
Tanta humildade trás.
E você jorra da minha boca de paz, intuitivamente,
Teu suco doce tomei
Pensei... eu pensei na tua boca novamente
Eu pensei em me fantasiar de forte
Eu andei pelas ruas, pelas praças.
Empata-me de andar.
Só quero sentar e pensar no teu jeito doce,
Na viva realidade que nunca havia provado.
Na pura, boa meninice que seu figurino me disse.

Olhei bem no fundo do mar
Eu fazia de tudo para você olhar distante também
E mesmo de longe enxergamos toda a verdade completa
Que estar...

No mesmo bonde
Lá no infinito onde nosso amor não mais se esconde.

Aproximamos as mãos, então
Em nada mais consegui pensar, não consegui tentar.

Em pouco nenhum
Comecei a voar, só de imaginar a doce paixão que ali estava por enraizar.
E mesmo só tocando nas mãos,
Havia luz nos teus olhos que vinha para os meus,
E dos meus para os seus,
Era mesmo amor, com muito pudor, respeito e sintonia.

Minha boca agora está
Com o gosto doce da brisa do mar, do ar, do mar, do ar.

As Pedras Choram...

  • 11
Eu só queria te contar,
Como pretendo terminar aquela velha canção.
Aquele tema usual, feriu-me todas as emoções
As que não temos e as que já vivemos.

Já escrevi conversas,
Do que sinto transparecer nos interistícios do vento.
E, nem a ameaça vai derrubar nossa casa trincada,
Nossa canção murmurada.

Como um pouco, uma faísca da parte que nao se entendeu de nós
Ameaçava de repente acabar com a parte verdadeira de nós?

Descobri que eu ando sem poder mais entender.

Experimental

  • 15
Nada é melhor que te espiar, decodificar suas expressões e transformá-las em melodia feliz para invadir meu peito.

Você disse: - Eu sei.
Eu confirmei: - Eu sei, tão grande amor, experimentei.

Não é bom te ver partir, mas tudo se transforma quando você ameaça voltar.

E uma melodia suave aponta em tudo o que faço.

Uma Estrela

  • 13
Ela abre à janela a noitinha pouco antes de dormir, ela vê todos os dias se passarem por ali, e, no mesmo lugar de sempre em tempos diferentes. O tempo muda tudo, ou parte de tudo, sequer alguém percebe.
Nas noites chuvosas ela não a vê, não vê a estrela que brilha por trás das nuvens, e, não se vê brilhando mesmo quando quase se encontra apagada. Mas, foi nesse dia que ela percebeu, que mesmo apagada para os outros, a estrela continua acesa em si mesmo, e a neblina não destrói isso.
Mas ela prefere observar a estrela. Iluminando a chama do mundo à noite. Brilha mais do que as luzes da cidade – que poucos olhos vêem –, ela brilha para o mundo.

Isso não é para fazer pensar, é simples como a estrela que a noite despontará.

A Abertura e o Acabamento

  • 14
Num belo dia as coisas começam,
E é lá que elas terminam,
Minando lentamente o tempo,
Até que tudo não mais se agüente e resolva mudar.
Ou permanecer.

O Costumeiro

  • 11
O “desavesso” costumeiro é apenas imperial,
Veja bem, apenas imperial.
O destrato usado na confissão dos pecados,
É “desracionalizado”, amoral.

A quartinha que tirou a sede quis com isso retirar,
O seu totalitarismo,
Pense bem, você tem?

Segurei-me na torrinha até tudo isso se resolver, até dizer,
E você?

Tudo Como Foi, É

  • 10
Tudo começou quando o jogo se perdeu.
Quando todos descobriram o que havia na embalagem,
Quando todos planejavam e foram descobertos.

Tudo continuou quando o punhal não quebrou,
A embalagem não se rasgou,
A derrota não veio, mas no fundo já havia chegado.

Tudo terminou quando eles foram humilhados,
E jogados ao chão descobriram a cara,
Tiraram o véu e de lá saiu uma alma indiscreta.
Saiu a solidão sozinha.
Mas eles não foram humilhados.

Vago Caminho

  • 10
Vago caminho,
Como se em todo caminho houvesse direção.

A pétala que é vistosa,
É a mesma que se esconde,

Salvos pelo tempo, enganados pela ocasião.
Entre um e dois há uma separação.

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose,
Entre a razão e o coração é que ele se move.
Entre o caso e o acaso
É que um é desvio, o outro é destino.
A diferença entre ter e não ter é a questão.

Vários destinos como se em algum morasse um coração.

Borrasca

  • 11
Vício não é necessidade,
Nem todo maremoto
É resultado de uma tempestade,

Há o que se ver e há o que não se ver,
Há o que se ter e o que roubar.

Há o que se viver e o que se conservar,

Há a diferença,
Que é para ser intensamente trabalhada,

É bom que exista a diferença,
Mas que não a confundam com o preconceito.

Uma Poesia de Amor II

  • 10
Desde que ti vi, fiz,
Poesias para te alegrar,
E fiquei feliz,
Quando você falou que bastava eu te olhar.
E vivemos em alegria constante.

Uma Poesia de Amor - Primeira Parte

Desde que ti vi, ando,
Mesmo sabendo voar,
Não que seja difícil te levar,
Não é. Você é parte de mim.
É que é bom poder tocar nas flores.

A Confusão e o Abstrato

  • 9
Responda-me quem sou, pois eu não sei, ou talvez saiba. Não, não sei!
Eu não suporto o barulho culminante do universo em crise que aponta no fim de cada dia. Dói escutar o barulho do silêncio e o silêncio que vem com tantos gritos. É que eu não sei fazer outra coisa, nem sei do que na verdade sou capaz de fazer, e até onde posso sonhar sem que esses desejos não se tornem mais um capítulo do que não suporto mais ver.

Vão-se os Barcos, Ficam as Velas

  • 7
"E poderíamos pensar, um momento, na sombra amarga que somos".
Cecília Meireles.

Ali está,
De frente pro lago.
Ali está,
Sem pensar,
No fácil, difícil,
Vontade, sem ímpeto.

Afundam os barcos,
Ficam as velas,
As viúvas choram acompanhadas,
De mais viúvas solitárias.

Ele partiu sem deixar filhos,
Sem deixar nome, vestígios,
Singrou no mar,
Nas noites cinzentas,
A tempestade veio acalmar.

E, no frio de sua timidez,
Tomou um gole quente:
Destilado outra vez.
Titubeou, alegrou-se.

Em noites tempestivas,
Tocaram-se os sinos,
Registraram-se as sinas,
Melancolicamente singulares,
Como purificação do impossível, distinto,
É impossível assim ser.

Bem Além de um Desejo

  • 9
Caminhou até a porta e buscou uma saída de emergência.
Mas a emergência estava apenas em sua cabeça,
E ele não encontrou motivo algum para continuar andando na beira do precipício,
E desistiu por alguns segundos,
Pensando em sua alma, resolveu voltar e lutar bravamente,

Ele conquistou o que queria.

A Imensidão em Nós

  • 13
Gestos provocados intencionalmente, um trato feito:
- Comigo você verá sorrisos.
- Está vendo o outro lado do mundo?
- O outro lado do meu mundo é você.

Mas não foi nesse dia que as coisas aconteceram.

Caminhos cruzados também buscam a imensidão completa de dois seres. Ela acontece apenas quando se acredita no amor incondicionalmente. E acima de tudo... Quando se ama ferozmente, quando se sente, quando um é o outro e no fim os dois são apenas um.

- Nesse dia a imensidão em nós se fará presente, e os respingos de chuva virão abrilhantar o fim de tarde.

Importância / "Desimportância"

  • 5
Irônicas, enojáveis pessoas,
Ridículas, desprezíveis, ‘superiores’
Não passam de ladrões.

De fora se ouve o grito que ecoa,
Malucas escondidas pelo fosco de serem pessoas,
Mas não importa o que penso,
O que sinto pesa mais que tudo isso.

Não importa o que pensem desde que sintam com sinceridade.

O Passo Vazio

  • 12
Sozinhos são passos vazios,
Distantes, distintos,
Aqueles que procuram por seus instintos,
Mas não... Não passam de passos vazios.

Solitários, é a solução,
A busca em mim, que insiste em governar,
É a situação.

Acaba contigo,
Comigo...
É um passo desprovido...
Inexistente e sem razão.

Um Lugar Que Não Existe

  • 5
Aqui é um lugar que não existe
E que se existisse, ninguém deveria vir.
É um lugar tão pacato e perturbado,
Onde o maior contato é o silêncio
Que me escuta não se de onde,
E os pássaros que refazem seu canto,
Desaprenderam a voar.

E quando eu quis navegar,
Já não sabia o que falar,
Calei,
De súbito susto do nada,
Morri.

Que Menina mais Bonita

  • 4
Eu queria te dar um presente,
Sei que lá do céu
A senhora recebe tudo o que te dou,
E segura a minha mão quando vou deitar,
E quando peço a bênção, eu te escuto.

E agora, está do meu lado.

Eu queria te abraçar forte,
Sei que agora está me abraçando,
Se a Senhora soubesse a falta que me faz...

Um dia te prometi que teria orgulho de mim,
Mas eu sei que sempre teve.
Eu queria te tocar, nem que fosse mais uma vez,
Eu queria um momento pleno.

E agora, está do meu lado.

A beleza do seu espírito sempre será meu porto,

Eu sei que está bem aqui,
Aqui do meu lado.

E não importa quanto tempo.
Vamos olhar as estrelas,
Vamos está sobre as estrelas.

Que menina mais bonita,
Que menina mais bonita.

Feliz dia das Mães.

In Glória

  • 6
Autoria: Keidy L. Jones e Germana Lima

Não diga que não amei, pois aquilo que te reservei,
é o tudo que de mim se apodera;
Não diga que não mais te verei,
pois tua lembrança em minha retina impera
Em meus sentidos
Aflitos
Que desatinam,
E afirmam que te possuo
E tantas vezes quanto eu queira, te asseguro,
Estás em mim
E não me peças para calar agora,
Minha alma está corrompida.
E Implora,
O sossego perdido,
o equilíbrio partido
e a novidade de outras horas...
A morte me veio de dentro.
No exato momento
em que coloquei meus sentidos
Em tua mesa posta,
Não pude nada falar de animador,
Minha boca só pode provar o dissabor.
E o que outrora era alimento,
Agora me apavora:
- A tua inglória arte de partir.

A Procura Clandestina

  • 2
Enxergo lentamente o coração
No fundo dos teus olhos que imploram perdão,
Ressalto minha embriaguez,
E caio novamente em tentação.
Desço minha mão que acaricia,
Impede-me de dormir por vários dias.

O barco afundou, com ele fui
Arrastado pela fúria da não sensação
Minha alma se alardeou em pensamentos,
A procura clandestina se perdeu.

Nada há em mim
Somos apenas uma declaração acabada,
Levada pelo vento,
Somos a incerteza de um momento futurista,
O trago profundo do agora insensato,
Talvez seja mesmo nosso último ato:
- O desejo profundo de enterrar a razão.
Ou não.

Entendimento

  • 5
Minhas mãos foram jogadas ao alto
Não percebi minha angústia até você chegar.
Meu caminho cambaleante não pára de soluçar
E de meus olhos caem lágrimas acostumadas a por ti chorar.
E elas caem atrasadas, pois por pouco tempo,
Pensaram em descansar.

Entendo não ter mais solução,
Até que um súbito de esperança me ocorre,
As coisas acontecem e para ti me guardo,
Por ti confesso meus pecados, perdão.
E quanto mais respiro, mais choro.
E quando não tenho nada para fazer,
Eu percebo que já estou pensando em você.
E de nada mais sei.
Saiba que eu sempre te amarei.

Ao Amor da minha Vida (2° parte)

  • 3
Não dá pra ser feliz, longe do meu grande amor...
Eu, nesse mundinho de Deus
Sempre às voltas pensando em você
Pra lhe fazer uma serenata só _Rita Lee


Eu não queria correr o risco de te perder, mas é preciso,
Não imagino outro futuro para mim que não seja com você (é meu instinto)
É porque simplesmente, não consigo imaginar,
E essa certeza me fez parar de tentar.

Como eu queria te olhar e ser olhada de forma diferente,
Como eu queria escutar suave,
Tudo o que já planejo gritar,
Eu não vou cansar de te esperar.
E seja como for, eu não sei o que é isso,
Mas eu sei, tenho certeza que é eterno,
Porque quando eu digo ‘eu te amo’,
É porque eu sinto que te amo.

E não há nada mais forte que o sentir,
E, não importa quantos beijos irei provar,
Sei que nenhum deles será,
Melhor que o teu, maior que o teu...

Será mais forte que eu.

Lado a Lado

  • 3
Para que chamar minha atenção?
Hoje é reconhecido mundialmente
O dia em que meus traços apagaram minha mente.
E eu não vi graça em tal desorientação.

Hoje cachorros de raça invadiram minha casa,
Latiram tanto, até que as pessoas escutassem,
E na hora da chamada tudo havia se passado.
Eu e a tristeza, caminhávamos lado a lado.

Palidez Repentina

  • 7
Foi hoje com sua visita
Que meu coração se partiu ainda mais.

Envelheci a força,
Acordei aos gritos,
Sonhei com dias que nunca existiram.

A sua palidez me lavou a alma,
De longe, porém de perto,
Aos gritos meu corpo observava,
Seu repertório,
Enxugou de uma só vez minhas lágrimas.

Não foi vingança,
Mas é bom saber que o meu envelhecimento repentino
Ensinou-me muitas coisas:
Eu sempre soube que você voltaria
E que eu, te rejeitaria.

Escrito em: 15/04/08

Dá-me Tuas Flores

  • 4
Dá-me tuas flores, libertas as sensações,
Afoga os amores, a multidão faz alusão.
Escreve tua sina, mata todos os dragões,
Dá-me tuas flores, libertas o coração.

Dá-me tuas flores, escreve o que pensas
Poesia nossa expressa recitada na festa
Dos poetas que soltam a imaginação
Dá-me tuas flores, libertas o coração.

Dá-me tuas flores, comemora seu dia
Escrevendo poesia, a registrar tua ira,
Seu amor, ódio e razão.
Dá-me tuas flores, libertas o coração.

Ode a um dia Feliz

E já passou o dia,
De nada adiantou a tristeza,
Ela se foi passageira com o horizonte,
Gritou lá de fora, deu adeus.
Nem escutei direito,
Sai atrasado, com a face não tão cheia.

Oh! Ode passageira,
Que me visite amanhã.

Poesia Lunar

  • 3
São apenas anotações proibidas,
Relatos que constatam meu sopro de vida,
É como se não bastasse agir bem ou mal,
E desprezar a ânsia que me trás um sujeito normal.

Foi esquecida a forma de amar,
E relevado os fatos a se constatar.
Foi declarado pelo casal em momento crucial.
Expresso na poesia lunar.
Foi esquecido no fundo da gaveta
Escritos aos quais me entreguei
Hoje me falta coragem,
Para abrir a gaveta outra vez.

A Criatura

Que desprezível criatura, não se move, não se mistura,
Não se sente, que tem coragem, mas não tem vontade.
Não sabe o que procura, embora saiba o que quer.
É detestável nas escuras,
Ser simpática não é um dom.
Adorável não sei por quem, não sei porque seria assim.

Mas é uma bondosa criatura,
Que tem medo de viver,
Que tem vontade de morrer,
Que tem vontade de viver,
E, que não tem medo de morrer.
Não é dramática a criatura,
Ela só é muito só.
Ela só sofre só.
Ela só ficou só,
E jamais será completa.

Meus Planos

  • 3
Tenho uma imensa curiosidade de saber como serei quando estiver mais velha...

Será que darei aulas de história?
Será que nos fins de semana olharei pro meu simpático jardim, com um livro e um copo de café na mão?
Será que realmente pintarei meus cabelos de vermelho e irei pular estrelinha aos cinquenta anos?
Será que serei a velhinha mais simpática da rua?

Até lá pretendo colocar meus outros planos em prática, ou simplesmente não ter planos, e sim... sonhos.

A Desvantagem Perdida

  • 3
É a desvantagem perdida. E se eu emudecer é porque mais nada tenho a fazer,
Mesmo ainda não tendo me libertado desta sina.

Será que fico ou faço,
Vou ou desfaço?
Escrevo ou apago,

Será que permaneço?

Todos contra Luísa

  • 3
"Viva de desejo e sinta a ilusão" Lao Ma
"Nada é mais macio de que a água, porém, quem suporta a força da enxurrada?" Lao Ma
"A fé já matou mais pessoas que a guerra" Ciclopes



João a amava, Ana também. Luísa sempre foi uma mulher feliz. Amigos fiéis e amores também. Tinha todos aos seus pés. Era fiel aos modos, ao mundo. Mas ela não imaginava que seus amigos e amores fossem fiéis ao Raul também, o principal inimigo do reino.

Escrito no dia 14/04/08

No Dia em que Alguém me Amar

  • 4
No dia em que alguém me amar de manhã,
Amar o meu humor,
Minha cara de nada,
Minha cara de fome,

No dia em que alguém me amar
Até mesmo quando eu não possuir razão,
Quando sou insensata, grossa,
Quando alguém amar meus erros,
Meus detalhes escuros,
Minhas brigas, meus rancores.

No dia em que alguém entender meu ódio,
No dia em que alguém não me cobrar,
Não me cobrar beleza nos gestos,
No rosto...

No dia que alguém me amar após meu dia,
No dia em que alguém não diga “eu te amo”
Sem amar.

Será o dia em que serei seu.

Escrito no dia 11/04/08

Continuo...

  • 4
Hoje vou te falar,
Como a loucura me tomou,
A ponto de desistir do tal amor,
Sem sabor...

Hoje vou te falar,
O que a muito tempo comecei a gritar,
Xinguei o tal amor,
Sem sabor...

De como falo comigo mesmo,
De como me critico,
Falo-te o que não entendo,
O que a muito estudo...

Continuo... Não compreendo.

Aventureiros

  • 5
Aventureiros atracam no horizonte
Buscando paz num lugar que não responde
Não se entregam, caminham avante.
Onde estão os guerreiros da terra perdida?

Eles não param mais para pensar
Estão famintos desbravando o lugar,
Que ameaça desabar.

Não há mais nada para falar,
Eles se olham e se entendem.
Não há mais âncora para segurar
E ameaçam sair daqui, fugir daqui.

Bravos guerreiros, aventureiros
Passam despercebidos
E nem os pássaros estão a cantar.
A ordem se descumprirá,
Se descumprirá.

Adentram ao barco na terra perdida,
Casam, criam laços buscando a saída,
Que é o mar, que é navegar,
Que é deixar corações sozinhos
E voltar pra visitar,
E lá do monte, juntos
Vão olhar o horizonte.

Escrito dia 07/04/08

Ao Amor da minha Vida

  • 3
Então eu vou gritar,
Para o mundo entender
Que não há defeitos sem graça em você,
E que não há sorriso que me faça melhor amanhecer,
E que não há distância capaz de nos vencer.

Então eu vou me declarar,
Com alguns versos e plenamente com o olhar,
Até que não haja medo algum em me entregar.

Até quando a chuva cair,
Nossos braços irão se entrelaçar,
E quando não houver mais redenção,
Eu vou chorar,
Pois meus dias de agonia acabaram
E minha espera agora é recompensada,
E por ti, por um beijo, um afago.
E por ninguém entender,
Quando nos entendemos apenas com o respirar.

Quando Não...

  • 0
Quando não se sabe mais o que fazer,
Quando o seu assombro é a própria respiração,
Algo mudou,
Algo selou o teu próximo fim,
Você tem muitos fins.

Quando não se sabe reagir...
Não há mais nada para fazer,
Agora é se entregar, deitar e esperar,
Não restam ao menos números para contar.
Algo mudou, você se entregou e a vingança selou.

Quando seu monstro mais cruel é a tua sombra
Quando não houver o que dizer, não responda.
Quando não restar dinheiro para jogar,
É porque seus pontos se perderam.
Quando não restarem mais fichas para apostar,
Deixe a mesa e vá embora.

Quando não puder mais reagir...
Quando não puder mais responder seus questionamentos
É porque parou para pensar muito
e agora não sabe o que fazer,
Tudo vai escoar e pela correnteza do seu inimigo eu.

Um Par de Pegadas

  • 2
Mas há, no fim do mundo algo que possua razão, e isso me rege, não há uma lei e essa eu sigo. Há uma linha que cruza o canto mais silente de minha mente.

Lugar parado, estático, que finda acabando comigo.

Desapareço, alegro-me ou entristeço. Razão acabada, paciência esgotada.
Vida sumida nos rastros da loucura comum que passou e que voltará, rastros incapazes de se entender, de se explicar, de se ler, de se falar.

Rastros apagados com a sombra de um olhar, outro olhar, o que falar?

Rastros apagados buscando razão que não existe nas curvas de um canto distante que mais se parece uma lei morta que não seguirei, nem serei seguido.

O Homem e o Sábio

  • 5
Em um dia de sol forte
Chegou um homem a um sábio:
- Eu queria muito aprender a amar,
Sempre que conheço alguém sofro com o fim,
Ontem o amor mais uma vez se mudou de mim.

O sábio não sabia o que falar,
Mas pensou, titubeou e falou:
- O mais frio dos homens já amou,
O mais apaixonado também,
O mais frio sofreu e o outro também.
Mas ambos só amaram uma vez,
Se o amor se mudou e não ameaça voltar
Então não era amor.

Sou chamado de sábio e não sei o motivo,
Já amei e já sofri,
Muito estudei e aprendi com a vida,
Mas nunca consegui entender o amor,
Amar ultrapassa qualquer palavra,
Qualquer gesto que não seja o olhar.

Amar ultrapassa qualquer entender.

Selva de Almas

  • 3
Os sonhos acabados foram aqueles vastamente pensados e que agora são restos do que não existiu, palavra mal escrita, caminhos mal traçados. Sonhos são tentativas frustradas de mudar o destino, são chicotadas, são dores impossíveis. Sonhos são restos do que não se pensou, do que muito se desejou e nunca se possuiu.

É que às vezes eu gosto de andar por ruas proibidas, para descobrir onde se encontra o resto de minha alma perdida.
E é verdade que algumas coisas só fazem sentido para algumas pessoas, e isso não é menos importante.
É que às vezes falamos coisas sem sentido futuramente corrigidas, ou não. E a verdade é que menos pior seria se as pessoas fossem dotadas de algo loucamente chamado de compreensão. Loucamente porque as pessoas querem ser compreendidas, mas nem sempre são capazes de se entender. Loucamente porque elas mesmas se entediam e querem parecer agradáveis aos olhos de quem ver.

Amor Decadente

  • 1
Amor decadente
É um traço deprimente,
E que se agüente o pior do passado.

Chega de ser pensado
Não cometa mais atrasos
Para não ficar doente.

O que se passou já fez anos
Completou-se ao engano,
Se entregue a confissão.

Já não se escuta o coração
Não siga tanto a razão,
Não deixe passos sem pegadas.

Tudo já Passou

  • 1
Tudo já passou e minha cabeça secou
O mar se alardeou e meu coração falou:
De que adianta ser somente uma promessa recebida?
De que vale qualquer vestígio sem você?

Tudo já se foi, eu fiquei, aqui só.
O dia anoiteceu, minha solidão me visitou.
Sem querer falar mais de amor ela ficou.
Oh todo esse sentir me faz quase desistir sem sentir dó.

Parar de perceber, quem serei eu sem te amar?
O tempo já passou, tudo passou e não consigo mudar.
Porque eu sei, que de seu enigma vou provar.
E se demorar, eu vou esperar, vivo só pra te amar.

Mas enquanto não chegou, o mar secou,
E eu só.
Não existe o que amar, quem amar, só você.

E se demorar eu não vou mais pensar em desistir,
Tantas vezes já tentei, mas só provei
Do que eu já sabia.
Ah! E se demorar mais alto vou gritar,
Minha vida é te esperar.

Ode Noturna

Um pouco de tudo,
De tudo um pouco
Desenhos de mundo
Mudo não estou,
Mas um dia ficarei
E não olharei
Para trás
Porque o trás
Para trás já ficou,
No passado você odiou,
No presente você amou,
No futuro você casou.

Onde estão minhas velhas cicatrizes?

E onde estão minhas velhas cicatrizes?
Bem escondidas e expostas
Derrotadas comemoram a glória,
Cicatrizes que me ensinam
A como agir na hora da vitória
Nunca dantes vista.

E onde estão minhas velhas cicatrizes?
Enterradas no meu peito
Banidas da alma,
E pelo rosto cai a água
Mas o peso me acompanha.

E onde estão minhas velhas cicatrizes?
E onde estão minhas velhas cicatrizes?

Dia e Noite

  • 0
Você é ler história que me prende até o final,
Ler história de amor com os meninos no quintal
Você é o momento que cruza dentro mim
Você é descobrir que nada é tão ruim assim.

Você é está junto e nada parece igual,
O mundo não acabará antes de você chegar.
Você é ter fome, é andar por todo lado,
Até quando saciada a fome dá vontade de comer
Andamos pelos lados sem compromisso algum.

Lembra-se de nós dois lá no clube de xadrez?
Lembra-se do dia que nos vemos outra vez?
Eu nem imaginei que fosse a última vez.

Você é esquecer e não mais recordar
O mundo está lá fora parado para mim
Só há o brilho de teus olhos
Cá estou esperando você vim.

A Rosa

Uma vez quando pensava em você
Pensei que fosses ser minha rosa para sempre,
O inverno caiu e minha rosa escureceu.
Meu coração partiu e se foi junto contigo
O que faço agora para você, são só poemas.
Tanto queria te cuidar amor,
Amor tanto queria passar o tempo contigo
Olhando nos olhos, beijando-a.

Minha rosa se foi tão cedo,
Às vezes dá vontade de partir como você,
Já que não posso ir com você.
O dia é meu inimigo mais cruel
Passa devagar e eu pensando onde poderia está,
Minha rosa se foi tão cedo,
O inverno a levou sem pena de mim.

Uma vez pensei que você fosse para sempre
Minha rosa carinhosa, meu caminho de noite.
Meu amor ficou, você se foi. O inverno levou minha rosa
Deixou minhas lágrimas caírem e se confundirem com a chuva.
Ele não teve pena de mim, e me deixou aqui.
O inverno a levou sem pena de mim.

A noite seria minha amiga calma
Se você estivesse aqui,
Eu iria te ver ai, deitar e rir.
Tua face são meus versos agora
Ainda consigo andar,
Cambaleando e me entretendo com canções tristes,
Como se eu precisasse de canções tristes para chorar.
O inverno a levou sem pena de mim.
Devolva minha rosa,
Teu sorriso para invadir meu peito,
Tua boca, teu carinho.
O inverno a levou sem pena de mim.

Não Adianta

  • 0
Não adianta mais tentar me convencer, não adianta!
Eu vou gritar, vai ver, pois não adianta.
O que se disse não tem como esquecer
Não adianta pedir perdão e achar que estou a mercê.

Não adianta olhar para trás com ares indignados, não adianta!
Eu vou lhe dizer o que tanto me fez, calar não adianta.
O que se disse foi brinquedo que não fez sorrir
Não adianta chegar agora e achar que nada vai acontecer.

Não adianta chorar querida, não adianta!
Fez o que nem um inimigo faz, chorar não adianta.
O que fez foi pisar, amassar e jogar fora minhas cartas
Que a tanto de amor chorara esperando de você alguma lágrima.

O Amor não tem Tempo, não tem Espaço

  • 2
O amor não é apenas um simples laço,
Não se corrompe, não é indigno,
É o único que existe, o fiel.
Se em algum dia deixou de ser assim até em pensamento,
Então não era amor.

O amor é para sempre e é feito de momentos
É eterno, mesmo que o eterno seja apenas agora.
É feito de sorrisos, choros e compreensão.
O amor não é perfeito
Mas ai está tua beleza.
É simplesmente de não se entender que se vive.

O Pulso

  • 2
É o pulso que aflora, a vida que ninguém mais quer ter.
Acabada subitamente a dos que querem viver.

O pulso que me move, é o mesmo que causa a inexpressão.
O pulso da discórdia e do terror interior.

Está o pulso em qualquer lugar.
Está calejado e não pára de chorar.

Enquanto muitos querem morrer,
Uns deveriam estar vivos.

A Busca Profunda do Eu

  • 0
Como se fizesse sentido andar sozinho procurando a beleza na árvore que não canta, que não cala e que não anda. Como se andar fosse cansá-lo a ponto de fazê-lo desistir. Como se o cargo que adotara fosse calmo pra sua época. Ele carregou por longos anos.

Andava agora em busca do elo que deixou para trás em tempo nenhum. Buscando a lisura nos rostos da rua agitada. Ele encontrou.

Ele andava perdido até que alguém o levou para casa. E se deitou em seu colchão se pondo a pensar em fatos vividos. Tomara o café e se pôs a andar de um lado pro outro. Seu lugar não era ali.

O Moço da Esquina

  • 3
Eram seis e meia da manhã, ele estava se aprontando para o trabalho quando de repente escutou lá de fora algo que lhe chamou atenção. Ainda não dedilhou aquelas palavras como deveria e até como desejaria, mas algo em seu mundo parou e andou rapidamente, ele tentara acompanhar, mas de nada adiantava seu sentimento de perda e ganho. Trabalhou introspecto querendo ainda ter o pouco de nada ter. Queria ter o dom, a beleza que jurava estar na casa do vizinho. Ele queria mudar até o dia em que percebeu que não se entenderia de forma alguma. E continuou a viver com o peso silente de existir. Ainda não me contou o que aconteceu, ainda não sei o que havia escutado. Mas ele queria mudar o mundo e de tanto tentar acabou sendo modificado pelo mundo, mas não sobreviveu a tal e voltou a fazer do desentendimento seu fiel companheiro.

Domingo de Manhã

Ela se banhava inocentemente e não previa o que estava por vi, sua nudez deslumbrara sua alma,
Entregava-se ao que só ela entendia. E fazia dos versos uma questão a ser resolvida.
Em um belo domingo de sol viajou até o mar, deixou em casa sua mente e seus pensamentos doentes.
Libertava-se a cada pingo de água, era como se o sal de alguma forma limpasse a menina corrompida inocentemente.
Ela saiu ainda cedo, postou suas pernas cansadas em uma cadeira e respirava livre em outra, passando em seu corpo o óleo das amêndoas que brotaram.
Da janela olhava o mundo estático que apenas fazia sentido no domingo de manhã.
O mundo não a via, ela era apenas a menina que fazia do silêncio sua tristeza.

Inabitado

  • 1
Foram acabados na esquina passada
Todos os sonhos infames e
Foram mortos todos os desejos.
Passados anos, eles se encontraram,
Discutiram o acontecido e o amor foi ressucitado.

Duas semanas depois eles brigaram e romperam novamente
Ela casou-se e ele morreu.

Dentro de si, não há mais o que encontrar,
Nem com ela está sua chama perdida.
Teu coração é inabitado, morto.

Efeito

  • 1
Eu quero abraçar você
Sentir seu coração no meu peito
Eu quero escutar ele bater
Eu quero está nos seus sonhos
Eu quero fechar meus olhos e vê você
Eu só quero você
Eu só quero te amar.

Você

Quando o seu sorriso aparece, sou todo seu.
Quando o seu olhar me encontra, não enxergo mais ninguém.
Quando a tua boca toca na minha, tudo se torna perfeito.
Depois de um beijo faço versos de amor.
Depois dos mesmos versos, com gestos você diz que me ama.

Sentido

A vida tem disso: As coisas acontecem tão rapidamente e você se torna muitas pessoas ao mesmo tempo. Mas, não é de meu entendimento algumas das coisas que insistem em me apavorar. Por que todas as pessoas chegam de uma só vez? Por que quando você mais precisa se sente sozinho?
Mas, existe alguém que não seja sozinho?

Amizade

Desprezo seu fingimento. Para mim você não passa de um macaco vestido com pele de púrpura.

Ser Louco

Se ser normal é levar uma vida parada e sem graça, então eu prefiro ser louco.
Se ser normal é ser respeitado mesmo quando movido pela mentira, então eu prefiro ser louco.
Se ser normal é não pensar em coisas loucas, então eu prefiro ser louco.
Prefiro ser louco para não anestesiar minhas sensações.

Viver Sem Você

É como morrer um dia antes de nascer,
É como dormir sem ter motivos para sonhar,
É como acordar sem ter ninguém do lado,
É como desistir sem ter lutado,
É como perder sem ter apostado,
É como conhecer alguém especial e se desencantar,
É como está sozinho numa noite estrelada,
É como está sozinho em um dia sem graça,
É como está sozinho quando se está com muitas pessoas.
É simplesmente viver sem você!

Crônicas da Vida

Eu já nasci assim: Louco, anormal e inconseqüente. Não goste de mim pelo que sou por fora, pois, de longe todas as pessoas são iguais. Goste de mim pelo que sou internamente.
Enxergue sempre as pessoas pelo que elas são e não pelo que você quer que elas sejam.

Oh! Vós Me Aplaudis?

Sem que eu consiga me servir de gestos manuais e sim de um olhar, logo verá o que quero que enxergue, somente o que quero.

Minha Vida

Na minha vida ninguém dá palpites, pode me dar conselhos.
As pessoas perdem muito tempo vivendo o que é dos outros, a vida passa rápido, não se preocupe comigo. Gosto do que eu quiser gostar. Sou feliz assim e quero andar para frente, embora as vezes com a cabeça baixa.

Sonhe Mais

Quando a sua realidade não bater com os seus sonhos, sonhe mais.
Quando os seus desejos não forem realizados, sonhe mais.
Quando a sua vida parecer uma rica fantasia, sonhe mais.
Quando o amor não bate na sua porta e você tem que correr atrás, sonhe mais.
Quando encontrares o verdadeiro amor e se sentires pleno, sonhe mais.
Sonhe que será para a vida inteira.

Sonhar é Pouco, é Preciso Viver

Quando abro os olhos
Desperto a minha infância
Algo novo e bom surge
Como quando nos conhecemos.
Os olhos se encontram
A vida se cruza por inteira,
Belas fantasias verdadeiras
Mais que belas poesias.
Quando fecho os olhos
Descanso a minha mente
Encontro a minha velhice
Sempre ao seu lado.
Sonhando a realidade
Que poderia existir.
Quem poderá enxugá-la?
E, a lágrima cai, cai...

O Prazer de Sonhar

Como é que eu vou gastar tudo o que ganho pelo prazer de sonhar se eu não ganho nada? Ah... É que às vezes os humanos esquecem que o sorriso de uma pessoa, não digo de sadista, mas sim o sorriso doce de alguém que te agradece por algo feito, ou até mesmo um abraço apaixonado de uma criança inocente que acabara de ganhar balas deliciosas, são os prêmios acolhedores de uma vida doce.
Quando você ganhas algo assim, nada aparece. As coisas acontecem. A recompensa está na sua cabeça, acabara de entrar lá. Sem você perceber as coisas acontecem e você como humano ciente que é deve ter percebido que o prazer de sonhar é derivado de gestos pequenos e inocentes.

Então seriam os sonhos a herança de uma vida boa?

Vácuo

  • 1
Certas vezes tenho uma sensação vazia
Assim suposta:
Mesmo que escrevesse mil páginas
Ainda assim não me entenderia
E não conseguiria me colocar em palavras.

Mas às vezes me sinto completa,
É isso que me faz escrever:
Essa alternância e essa certeza,
Nunca irei conseguir dizer tudo o que quero
Quanto conseguir
Estarei morta.

O Pudor

Pelas ruas, entrelinhas, calçadas distantes de bravura incomum. Por trás de ti há uma mentira doce contada sem pudor algum. E me perseguem todo dia as folhas que querem cobrir meu passado e meu completo sentimento dedicado a ti. Não entendido por mim, nem pelo homem que está ali. E me perseguem todo dia palavras suadas, a mesa está posta,
Você em sua casa pensando está disposta. A menção foi feita, agora desonrada por justiça mal feita, o colapso te adquiriu e te fez vítima de um lapso sem fim.

A Lágrima

A lágrima molhou meu papel,
Na hora em que ia escrever
Ela caiu e não deixou.

A lágrima acabara de aceitar,
Que é bom chorar quase de vez em quando
Ela cai novamente, e de novo ela cai...

A lágrima me afronta todos os dias:
- Entra sem pedir licença,
- Sai sem dar adeus.
Ela vai voltar.

A lágrima gosta de me visitar,
Meu tormento diário é ela.

A lágrima cai acostumada com o chão que vai pisar
Ela sabe que aqui dificilmente vão expulsá-la.
Aflige e dá carinho,
Minha melhor amiga,
A lágrima.

Sonho Sobre

  • 0
Eu pensei que ia cuidar de ti para sempre
Mas não foi bem como eu quis, pena.

Queria que o mundo ficasse de novo aos meus pés.
Porque você teve que ir e me deixar sozinho aqui?

Amei acordar e de bom dia ganhar teu sorriso
Foi meu condutor naquele dia.

Livrei-te de alguns perigos, eu amei fazer aquilo
Nunca poderás reclamar de mim.

E agora? O que será?
Viverei sem você, tentarei,
Acabou e isso me machuca.

Meus sonhos desligados nada falarão mais
Passou, tenho que me conformar,
Meus sonhos desligados nada falarão mais
Passou, tenho que me conformar
A acordar sem você.

Não sei ainda como começar
Me dói profundamente não te ter,
Se quiseres voltar aqui estarei.

Quando

Quando os pássaros das cascas brotarem
Quando a lua no céu nascer
Quando as garças se embocarem
Quando o amor se mudar para longe
Quando os traços apagarem o bonde
Quando as entrelinhas não existirem
Quando o antigo parecer novo
Quando as mentiras forem confessadas
Quando as intrigas estiverem acabadas
Quando as declarações forem bem feitas
Quando os laços não forem rompidos
Quando o imenso não se opuser a qualquer eira
Quando o amor não acabar em três dias
Quando pensar em ir registrar minha vinda
Quando meu corcel parecer insano
Quando se cruzarem os oceanos
Quando se mudarem para cavernas
Quando não vires o que os esperam
Quando não estiver dormindo e sonhando
Quando não fores vítima de minha confusão
Quando parar e admirar a imensidão
Quando tentar escutar o coração.

Meu amor se findará.

Amante

Homem um tanto console
De suas dores enormes
Abatem o peito e soltam calafrios,
A alma se entristece
Quando não brindas o mundo.
E é teu sorriso o movedor
De plantas que sacodem
As roupas no varal.

Parece como tal
Acabou de chegar
Reparar a dois traçar
Caminhos conjuntos para casar
Não haverá de perceber.

Timorato

Por trás de um caso,
Há mentiras a contar,
Que de tão covardes
Parecem verdades e
Deixaram-me com insônia.

Tuas expressões cansadas
Não enganam amadores
Porém os mestres se confundiram
Acreditando em poucas dores.

Os nós de teus projetos
Fizeram-se por se só
Não há um sequer
Que duvide de tua capacidade.
Em mentir, odiar,
Amar e afogar.

Não me tome mais.

A Ti

Tudo se desgastou
O trem passou e você ficou
Achando que o mundo iria parar
Só porque deixou de se casar.

Foi sorte quando você apareceu,
O azar me tomou quando se foi.
Mesmo assim,
Se foi porque achou que era minha razão,
Não tenho razão, isso até a mim impressiona.

Agora estou parada esperando
Seu retorno triunfal,
Se não voltar, meus pés não cansarão
Pois não haverá mais de um dia que espere por ti.
Não tenho razão.
Quando tiver, estarei ao lado de alguém especial.

Uma Carta Para Clarice

  • 0
E quando pensei que nada mais me surpreendia,
Nunca me senti tão enganado. Pois havia sentido Clarice.
Momento antigo ou futurista demais que ainda não cheguei a decifrar. Foi quando fiz como você e acordei cedinho para escrever.

Sim, eu sinto Clarice!

Mundo Virgem

Intimidade ao mundo
Que a lágrima não enxugou com amor
Dos altos lares e profundos
De minha alma que talvez esteja perdida.

Em luas sozinhas de qualquer galáxia
Um dia o mundo acabou
Meu silêncio se fez para sempre
Meu século passou
Minhas pregas na cara viverão
Por mais dois minutos apenas.

Meu copo está seco
Está em qualquer recanto imundo
Teu sorriso se mostrou para mim
Porém não gravei,
Perdi,

Eu não sei mais
Acabou.

O Teu Pranto

Estou por trás do teu pranto
Quando minha tentação impede de amar
Sensações sou empeça de tê-las.
Se veja livre de mim
É só beber água da fonte
Do monte de mim
Guardada para mim.

Estou por trás do teu pranto
Não se encoste mais
Não cobre o que não posso dar-lhe
Sou uma pobre semente
Sem amor.

Estou por trás de teu pranto.

Amor Repreendido

  • 2
Calou-se!
Diante de tanta frieza,
A demora de atos
Falhou-se!

Oh querida percebe agora
O que não me canso de dizer?!
Não há nada que possa fazer-lhe entender?
Entenda que eu te amo,
Que és única, querida minha.

Quanto mais eu ando
Mais volto no lugar de onde nunca sai
De perto de ti, querida.
Deve ser isso que faz com que entendamos
Quando se acha o amor eterno.

É querida.
Encontrei meu amor eterno.
Querida minha!

Intenção

Se eu já andei conquistando alguém por ai,
Isso ocorreu sem intenção.
Não é de mim fazer juras intencionais.
Eu te amo!

Carência

O mundo anda tão carente que qualquer coisa que se declare faz derreter o peito inteiro. Mas ela não está apaixonada. Ela pensa.

O Que Eu Quero? - Quarta Parte

  • 1
Não quero muito
Apenas o complexo
Justificado numa chuva doce
Pra que não molhe meus contos.

Por Trás de Mim

Por trás desse meu sorriso há alguém chorando,
Por trás da luz duvidosa que meus olhos passam,
Há alguém cheio de dúvidas em relação ao tudo,
Há alguém que simplesmente não se entende,
Há uns olhos que não são o espelho da alma,
Pois se fossem, eu desprezaria tua pena.

Traição

Quando eu digo que não a trairei
Não é por respeito ao seu amor
Pois dele talvez, eu desconfie.
Não traio a minha dignidade
Porque ela está em mim
Eu não conseguiria viver enganado.

Teu amor pode só existir aqui,
É triste dizer isso.
Mas foram as coisas da vida
Que escreveram isso aqui.
Foram elas que me tornaram assim.

Desconfiança

  • 0
Por trás de três corações
Não há um sequer
Não aprendo mais a confiar
Em mentiras bem contadas.

É tão difícil confiar
Em qualquer coisa que se diga
Desde as provas ou as teses
O luxo ou pedido de perdão.

Nem no amor eu confio mais
Por isso trate, se quiser,
De me fazer voltar atrás
Para isso duas semanas não terá mais.

Muito tempo foi usado
Com pessoas que não mereciam
Talvez um dia sinta
Um terço do que já foi minha vida.

Talvez sim. Mas não é o que desejo
Não quero mal a ninguém.

Idas e Vindas

Ando meio perdida
E ninguém percebeu minha vinda
Sentiram saudades na ida
E num poemeto não ditado ainda.

O escuro ainda é minha lida
É diária, minha finda
Idas e vindas querida
Minha dor não mais entedia.

São breves minhas paixões
Lembro sobre mim da tua mão
Quão escondidas tuas visões.

Acalentadas estarão
Todas as conclusivas paixões
Mas, ninguém sabe onde estão.

A Perfeição

  • 1
Sempre que eu escrevo sinto que ainda falta alguma coisa. Quero muito fazer isso, mas não foi dessa vez que expressei meus pensamentos por completo. E enquanto eu não conseguir, continuarei a escrever. No dia em que me entender, talvez chegue ao ponto em que quero estar, mas não é bem isso que quero. Eu devo já ter desistido de qualquer entendimento porque é assim que amo todas as minhas surpresas. Nem sei o que farei amanhã.

Eu Vi

Não adianta olhar pra frente se o sol ainda está dormindo
Eu limpei minha vista e vi pessoas desocupadas falando nas calçadas
Esperando a próxima viagem noturna que chegaria amanhã a tarde.
E a ferocidade de suas palavras acorda os velhinhos que estavam
Praticamente queimados com a fumaça de seus cachimbos.

E nas esquinas as proezas da vida são o que ainda determinam
E os perdidos foram achados, mas não devolvidos
Astuciosas mentiras foram contadas a todas as beatas
E até as mentiras foram provadas.

Lá do alto caiam pingos destilados de veneno
Habitando as cabeças das crianças que crescerão
E amanhã utilizarão seus aprendizados.

Um casal de namorados jura amor eterno
Na próxima avenida ele cruza com seu amor eterno
Mas ela cruzou outra avenida.

Eu estava observando tudo da janela
Enquanto bebia meu café.

Você Não Disse que Estava Completa Querida?

Você não disse que estava completa querida?

A aflição foi desviada de seu rumo padrão
Nem ao menos deu adeus a tua precisão.

Nos gritos mergulhavam afogando um coração
E nos patamares de minhas doces loucuras
Estava escondida algo que eu nem sabia.

É necessário viver com o que se é,
Por isso as rosas mucharam e eu nem chorei.

Mas todas as tardes habita um vazio em mim,
Que daqui a poucos séculos juro vai fugir.

Não adianta tentar querida!
Páre de expor minhas feridas a mim mesma,
Pois eu jurava que já estivessem superadas
E você covardemente me faz apaixonar.

Você não disse que estava completa querida?

Amor Eterno

- Mas é que é bom te analisar.
- Como?
- Eu falei que é bom te analisar. Ouviu agora?
- Sim! Mas eu também escutei da outra vez.
- Então por que eu tive que repetir?
- Eu não entendi.
- Você falou que havia entendido.
- Eu entendi as palavras, mas não o sentido... sua complexidade...
- Ahhh tá! Explico...
- Tá.
- É que seus trejeitos são bem fofos.
- Fofos?
- Eu não sei se você se faz de desentendido... É que eu amo você.
- Me ama e diz que eu sou desentendido?!
- Não, é que eu pensei que você soubesse.
- Do que?
- Eu te amo!
- Nem sei o que falar, só sei que estou feliz... Eu também te amo!

(pausa e beijos)

- É... eu acho que a gente podia sair pra algum saral. Vamos?
- Por que saral?
- Eu gosto de cinema.
- Só dei uma idéia.
- Eu não aceito ordens e quer saber?! Eu não te amo mais.

O Ciclo

A calmaria da noite agitada não me deixa dormir
São tantos conselhos internos que chego a explodir
E encontro minhas maneiras que só agora aprendi.

Ela se revelará nas noites tranqüilas
Com um diálogo bonito cheio de ternura
Que lhe tocará a alma e entregar-se-á.

"Após dois séculos diários
a demora sai de cena
e os corações se encontram.
Tadinhos! Estão cansados".

Então, sendo assim, a rosa que acalanta
Deixa seus espinhos secos
Em cima de algo que você esquecera de lembrar.

Seu coração passeou sozinho e submisso
Ele não foi capaz de retratar um rosto e guardar,
Esqueceu as poucas feições ontem à noite
Quando saiu e começou tudo de novo.

Vontade de Ficar Viva

  • 0
A cada dia eu ando mais faminta de tua presença.
Os segundos passam mais lentamente
E os meus golpes desesperados para respirar
Resultam em algo tão só.

E nada vai me impedir de chorar todas as manhãs.

Minha completa felicidade estará quase vazia
Todos os finais de dia.

Eu sinto-a aqui do meu lado sempre
E é isso que me consola
Quando as loucuras resolvem me dominar.
É teu acalanto que me permite dá sorrisos discretos
E ter uma razão de eternidade.

Às vezes sinto vontade de ficar viva.

Viagem ao Fundo

  • 0
Isto está ficando estranho,
Meu medo desapareceu quando percebi
Que ele era pai dos covardes.

Afundei e desafoguei
Rastros pintados e bonitos
E levei minha mente a um lugar longe
E cantei: “vamos sair daqui
Pra qualquer canto ainda mais perdido”.
Você ainda está perto,
E isso não alivia minha dor.

Minhas bases caíram
E meus amigos sumiram
Minhas provas apontaram
Suspeitos comumente culpados.

Em meu traço cansado
Pousou um pássaro
Pediu-me para voltar a copiar
Rostos em minha mente,
Concordei e depois fui há um lugar
Cá estou, perdido de todos
Encontrando a mim mesmo.

O Mestre

Há cem anos indaguei um mestre
Queria saber o que é sentir
E, sair de minha vida anestesiada
Longa demais em um só dia.

Ele esperou o inverno chegar
E o frio acalentar minhas vestes suadas
Levou-me a ruas calmas,
O mundo estava calado
Só se ouviam suspiros raramente
Quando até as matas se fechavam.

Ele segurou minha mão
E mortalmente intactos
Escutamos um barulho inebriante do inexpressivo,
Das pessoas paradas nas ruas desertas,
Dos pingos de chuva
Que insistiam em lavar minha alma
E, em me dizer: você está vivo.
Escutamos o puro inocente barulho do mundo
Que não conseguia calar,
Pois suas paredes riscadas insistiam em me comunicar.

Entrara em mim. Senti.

As Regras do Mundo

  • 0
Se existissem regras no mundo
Como as de uma ilha onde só um sobrevive
Mesmo assim me entregaria
Só pra o mundo não perder teu sorriso.

E se eu pudesse romper essas regras
Romperia todas elas
E passaria tardes falando coisas
Que só nós entendemos.

Bom que essas regras sorumbáticas não existem
E eu posso passar o tempo todo
Olhando pra você e me pondo a admirar nossa amizade.

Eu Nem Sei. Sou Leiga

Eu já nem sei mais no que pensar,
Eu nem sei porque insisto em procurar meus amores,
Já que os encontro todos os dias
E os perco todos dias.

Amo cinco ou dez vezes no mês,
Sabendo que nunca vou amar de verdade, nem quero.
Ou talvez já ame, porque eu sei que quanto mais o tempo passa
Mais você é única para mim.

E que não importa quantas pessoas eu ame na vida
Quantas eu conheça em um mês,
Nenhuma delas me tocará como você,
Nenhuma delas me fará sentir as certezas que você tem.

E eu sei que cada dia fica mais difícil
E, às vezes fico incrédula quanto a você
Mas um dia talvez aconteça, ou não.
Independente de tudo eu te amo.

E eu acordo todos os dias sabendo disso.
É por isso que eu não falo ‘eu te amo’ aos meus amores
Porque só você é dona de mim
Faço minha as palavras do poeta:
“Se eu tivesse 30 segundos de vida
Queria passar olhando nos seus olhos”.

Contemporaneidades

  • 2
Não gosto de pessoas, das multidões,
Tampouco fazer amigos. Eu detesto fazer amigos!
São poucos os que conseguiram quebrar minha barreira.
Bem poucos.
Poucos mesmo.

Meu quarto, minha caneta e papel me bastam.
Não gosto de conversas para conhecer pessoas,
Perguntas bobas, convites...
Não gosto de pessoas.

Eu detesto coisas contemporâneas,
Causam-me um nojo enorme
Prefiro beber vinho, ler e fingir que vivo no ano um.
Minha vida passada foi no ano um.

E quando conversam comigo pela primeira vez,
Rolam duas ou três palavrinhas de minha parte,
O restante é observação, não das pessoas, mas do complexo.
Nunca uma pergunta!
Detesto responder e fazer perguntas de pessoas que nunca vi.
E são perguntas bobas, cansativas.
- O que gosta de fazer?
Ah! Eu não gosto de responder.

Poucos conseguem sobreviver ao pouco diálogo
E ainda sim gostar de mim.
Eu detesto fazer amigos.

Eu gosto de coisas diferentes,
Detesto as pessoas que me agradam por conveniência.

Amigos são bem poucos,
Os que realmente confio são meus amigos.

Ontem Entendi

Amo pintura.
Sempre desenhava uma casinha com um jarro na janela
E até hoje só sei pintar uma casinha com um jarro na janela,
Mas eu amo pintura.

Amava brincar de bonecas,
Até no dia em que minha amiga chamou pra brincar de bola.
E até hoje amo brincar de bola.

Carros?
Amo carros. Gostava de sair deslizando com eles pelas paredes,
O carro andava de cabeça para baixo e vice-versa.
Amo carros.

Nunca entendi porque meu cachorro saiu de casa,
Eu amava-o e ele me deixou,
Até hoje nem sei onde está o Rambo (o nome dele),
Talvez ele tenha feito o que todos querem:
Uma espécie de libertação.

Já minhas velhas escritas,
Guardo uma carinhosamente, ela está amassada e amarelada,
Mas tá guardada, eu amo olhá-la de vez em quando.
As outras se perderam no, mas estão na minha mente.

Tantas paixões, mas nenhuma que me reja,
Eu não me permito ser regida.

Vamos Cuidar de Nossa Razão

  • 0
A emoção anda me regendo
E meu medo menos evidente mostra
O que quero ver e anima meu lar
Vamos cuidar de nossa razão
Vamos fazer isso sim,
É só isso que quero
Deixa que eu cuido de ti.

Il Peso di Una Rottura (O Peso de Uma Lágrima)

Quale sarà il peso di una rottura?
La q che può fare in un'anima?
sia capace a arrasar un cuore?
O a timore nel dire chi il motivo?
O stessi al forse scelgono in mezzo sì e non?

Quel peso ha una rottura?
Quella rottura che il vostro occhio scarta?
Che cosa vi allontanate via dal vostro occhio come illusione?
Che cosa non della voce al cuore?
Quale il peso della rottura che ieri si è rovesciata?
Sarebbe il peso della malinconia?
Dell'amore?
Di poesia?

Forse un giorno scopre…
Il peso di una rottura.

Fragile (Delicada)

Quasi non mi verifico per parlare
E il vostro sorriso quella gioia nel guardare
Anima del `del minh di Enleia
Occasione della miniera I di desiderio
Copre i supporti
Disegnato nella vostra pelle,
Fragile.

Apre un varco tutte le vene
Respirate gasping il vostro desiderio in mia carne, desiderata
È questo che ritengo
Il mio corpo feverish,
Ardendo nelle curve della vostra bocca
Che corse e devora di I il corpo ed il pensiero.

Le vostre mani calde
Li agitano me e devoram me,
Un frêmito me causa,
Hieroglífica il mio corpo,
Decifra il nostro pensiero seguente,
Sono il vostro.

Anime unite lungamente fa
Sempre, da allora quello siamo sopportati.

Ditosa (Ditosa)

La gioia di guardare
Il semblante della vostra faccia graziosa
Mi diletto nelle vostre armi
Goddess di Ditosa
I vostri occhi graziosi
Lo incitano per tremare, amare.

Non è armi necessarie
In modo che lo ritenga proteggere
Né spade e chakram
Né tutto l'esercito di Troy
E, la forza di Esparta
Assegnano me la protezione esso
Che soltanto l'amore allineare e puro
Trasmette in me
Perfezione Divine.

Óh, donna graziosa
Che tutto il Olimpo se mette per ammirare
Più bello di Afrodite
Fa per sudarlo.

Forse uno voi
Che esso sempre stivamenti da cercare
Qualcuno che lo inciti per ritenere
Un amore così forte
Quello in loro si trasforma in in due corpi
E, un'soltanto anima.
Anime gemellate.

Minhas Certezas

  • 0
De todas as coisas que juro ter nessa vida
Poucas são as que realmente tenho
As que eu sei: são minhas e das quais pertenço.

São poucos os fatos que considero
Poucas pessoas e objetos
São bem poucas minhas certezas.

Já andei duvidando de coisas que não podia
Confiando em coisas que não mereciam
Precavendo-me excessivamente por medos passados.

Já andei parando pra pensar
Quando os fatos queriam que eu andasse
E fui impulsiva quando na verdade deveria está intacta.

Andei fazendo balanços relevantes
E cada vez mais concluo
Que são poucas as minhas certezas.

Contáveis certezas,
Deus, a primeira delas.
E você.

Comumente Chamada de Loucura

  • 0
Sou um traço perdido nas tramelas
Das janelas rústicas da vida,
Passageiro sem rumo de pensamentos maliciosos,
Eu sou só a pessoa do último banco,
Congratulada com a noite que aparece.

Sou o último sopro do dia
Entrelaçada com vestígios de felicidades reservadas
Com profundas escritas registradas em mente
Vítima da vida, ou não.

Eu nem sei bem ditar tudo isso
Pois sou um enigma a ser entendido por mim mesma
Mas a noite está chegando e me pego a ouvir
O ronco poluído dos carros e as rodas de ciranda
Essa é a perfeita ironia dos obrigados a ser
E da inocência sem e por querer.

Eu sou algum ponto perdido,
Comumente chamada de loucura.

É Só Pra Passar Tempo

Envoltas numa teia, suas tristezas e rancores
A insanidade como único intuito de paz
E as tormentas afetam meu recanto
Elas um dia desistirão e, nesse dia eu vou gritar,
Para comemorar uma espécie de libertação.

Eu fico meio sem sentido
Quando nem sei o que dizer
Como se alguém fosse entender
Essas gargalhadas sozinhas
Que nem eu mesmo entendo.

Pra passar o tempo ando buscando,
Buscando algo que ainda não sei o que é, mas eu quero.
Quero patentear meus sonhos meigos
E, jogá-los em boa parte do mundo.

Só pra passar o tempo parei pensando
Desenterrando minhas idéias absurdas
Que não são um grande contra-senso como pensas
Elas identificam minhas manias e
Livram o meu mundo de algo desconhecido.

É só pra passar o tempo,
Somente.

Existência

  • 1
Tão grande é teu poder, não posso lhe pertencer.
O que se vai achar nos sorrisos obscuros de qualquer lugar?
Eu andei nas ruas esburacadas tal como meu peito faminto.

São vilelas fechadas as minhas concepções ultrapassadas,
Entregam-se os corpos aos filhos de Baco
Todos satisfeitos e eu atrás de explicações.

Minha mente procurava os sentidos
Que nem mesmo o destino sabia responder
Havia algo perdido em mim que busquei em você.

Finalmente me recusei a entender
Coisas estapafúrdias que não vou dizer
Não mais se entregam à chama incerta do futuro.

Algo que até hoje não percebi completamente
Tal qual entender minhas próprias fantasias
Já não consigo diferenciar noites e dias.

Meu Desuso

Habita em mim, algo que não sei dizer o que é,
Na noite vive, perturba sem dó,
Lembro-me da última vez que apareceu
Não dei gritos de socorro, acostumei-me.

Quebrada foi a vidraça como sorrisos que não enganam
A tristeza bordada com sangue na face é visível.
Ontem no quebrar da barra apurei
Meus olhos acesos pela chama calada da noite passada.

Abateu-se a suspiros solitários sem escrúpulo algum
Minha falta de prudência comum,
Conselhos mal dados por mim a mim
Desistiram e saíram sem livrar-me de peso algum.

Meus pensamentos assumiram seus anseios futuros e
Passam noites a pintar sem entendimento
Coisas desusadas há anos. Parei de me usar há anos.

Ninguém Mais

Dando poesia a loucura
Que toma minhas noites,
Os contornos de minh´alma e
Os anseios de minha pele.

A perturbação que me assola
Também dá forma,
As minhas palavras esquecidas
Em boas noites libertinas e solitárias.

Os desejos de minha carne
Fazem-me pensar que nada há mais.
Os amores de decênios são
Resumidos a eternidade de um beijo qualquer.

Vivemos dentro de nós tentando libertar
Uma caça que insiste em crescer
E nos dá a lição que já cansados de saber
Nos faz pensar:

Ninguém mais se prende a nada,
Não deve haver algo errado,
Ninguém repreende nada e
Todos os pecados foram perdoados.

Signore Brave della Notte

  • 0
La relativa aria che respiro
Ha miglia di distanza
La parte interna mantenuta lo ha desiderato
Tutto il relativo senso.

Pressinto i relativi timori
Assicurazione costante la vostra mano
Quando lo dite caro:
- Sono assicurazione.
Siamo signore brave della notte
Che difendono la sensibilità
Perpetuo dei ladri.

Le relative tracce calde
Ai tempi lo consumano
Caro, amo essere consumato.
Li desidero per completo,
Sempre nella mia vita.

- Di me il vostro lusso
Nei baptisms caldi dei campi
Del nostro caro,
Signora della notte, miniera
E, dei giorni, tutti i miei giorni
Desiderato.

Bravas Damas da Noite

Seu ar respiro
Há milhas de distância
Guardada dentro mim querida
Toda a sua maneira.

Pressinto seus medos
Seguro firme tua mão
Quando me dizes querida:
- Estou segura.
Somos bravas damas da noite
Que defendem o sentimento
Eterno dos ladrões.

Seus traços quentes
Às vezes me consomem
Querida, amo ser consumido.
Quero-te por completa,
Sempre em minha vida.

Dá-me tua luxuria
Em campos quentes batizados
De nossos querida,
Dama da noite, minha
E, dos dias, de todos os meus dias
Querida.

A Razão de Nossas Vidas

Lá do alto das montanhas
Sejamos firmes – alguém gritou.
Friamente sinto um toque
Algo desandou.
Cumpria com paixão
Cada ordem recebida
Sim, estamos em busca,
Da razão de nossas vidas
Decifrando mapas
Atrás de novas conquistas
Às vezes esquecendo das velhas
Que no passado nos livrara da guilhotina.

O capitão havia esquecido as trilhas
Caminhar com o coração, é essa nossa ida
Atrás de alimentos que matem, toda a dor da partida
Sejamos fortes – novamente o capitão gritou
Nada vai nos parar enquanto houver vontade
Aqui é nosso lugar,
Novamente preocupados
Pois tudo se perdeu.

Um bando ameaça:
– Rendam-se ou morram!
Isso ainda não se ouviu
Devemos continuar tentando
Pois nada sucumbiu.

Não me entrego,
Não me entristeço
Com a ira dos dragões
Somos tão pequeninos
Mas nossa coragem se entrelaça
Com um desejo insano de vencer
Enfrentamos mil ladrões
Levantar é preciso quando o sol amanhecer
Nem que amanheça dormindo
E acorde quando o dia escurecer.
É de onde sai toda a raça,
Razão de nossas vidas
Pois preferimos morrer a nos render
A eternidade de nossas feridas.

Desvairo

  • 0
Dias dormindo
Preciso saber se o tempo
Ainda está parado como antes.
Táticas mentiras
Aduladas ao acaso
Exposta as feridas
Em minha alma fria
Dura como aço.

Parecemos bravos
Aos outros, só aos outros.
Atrás de cada vida
Há sempre uma viga
Que não nos impede de pensar,
Somos até mais aptos
Quando não temos medo
Do que vai acontecer
Quando a noite chegar.

Não ando procurando por ninguém
Nem torcendo para ser achada
Tudo que se sentiu
Não foi exato como se viu.

Minha cabeça às vezes pára
Para pensar coisas estúpidas
Nada me atrai,
Já nem tenho tanta dúvida.
Somos o que dissemos,
Por mais enganados que sejamos.

Nesse sorriso se esconde consternação
Não andas dois passos
Escondendo esta aflição
Para mim só existe a verdade
Como religião.

Foi Hoje que eu Morri

Ela me escreveu
Se declarou
Se foi, morreu.

Tentei nadar na correnteza
O mar levou minhas vestes
Fiquei exposta
Com o tempo frio
Brinquei, morri.

Ele me escreveu uma canção
Não era de amor
Pediu para selarmos a desunião.
Aceitei, morri.

Somos filhos
Fortes e incrédulos
Procurando um recinto
Para sair da agitação.

Ontem ganhei uma declaração
Antes descobri
Vulgarizam o amor
E nele justificam a dor.

Eu vos Declaro...

Ele não sabia o motivo
De tanta falta de romantismo
Na parte mais alta de sua promiscuidade
Quase morto de amor,
Desprezado.

Ela não pensava
Trancada no quarto de seu orgulho
Desprezava-o sem querer
Acorrentada com a ambição
Ora, até esta amava-a.

Não sabia como tratar o amor
Até o dia em que este cansou,
Traduzo-a como triste para sempre
Enquato ele adulava seu harém
Triste para sempre também.

Perdão

Pelos canais aparecem lágrimas
Os reis não sabiam o porque
Sou minha própria ameaça
Estou só.

Discrente de qualquer força
Sabendo que só existem sorte e azar
E mais injustiças que qualquer coisa.

Eu não queria pensar assim
Mas é que já perdi de tudo
Todo dia some um pouco
Até que não me reste nada.

Às vezes chego a duvidar
Da existência de Deus
Como agora,
Mais do que nunca antes.

Não Esquecerei Você

  • 1
Enquanto você está ai
Sentada sem inspiração
Esperando que alguém chegue para suprir
O que sobra em mim,
Eu observo de longe
Minha aparência esfarrapada
Que não permite ilusões.

Nessa escassez que me encontro
Falta-me amor para contestar
Suas atitudes bobas para impressionar
Sem sucesso, é uma pena.

Você não é mais a rainha de meu mundo
Esse título nunca foi de seu agrado
Mas sem querer você gostava
Quando te dava flores sem rugas
Estava tudo bem,
Só enquanto eu era cega.

Oh rainha, você entregou seu título
Para se casar com um plebeu rico
Não viu que rico sou eu, ou era
Quando tinhas muito amor por ti,
E quando acordava todos os dias pensando
Em como gastar tamanha fortuna.

Agora te compro flores
E as dou de longe,
Esperes rainha,
Seu plebeu já está na esquina
Com um carro luxuoso
E mais mil tesouros,
Minha menina rica, acabei de trombar
Roupas esfarrapadas, acabei de doar
Rico sou eu, de tanto amor
Por ti, minha nova nobre.

Alguns

Você está quieta, não meche um dedo sequer. Adivinho de longe o que está pensando ou, talvez fique tentando até que as luzes dos postes apaguem e resolvam decretar o resto dessa perturbante noite. Eu custo a me entender, no entanto não poupo esforços para ter gravado em minha alma cada traço de seu barulho desconcertante. Sim, eu sei o que está pensando, nesse fracasso amargurado que sinto agora, estou mais segura para entender as pessoas que nem conheço.

Eu sei o que você fez ontem, ninguém me disse. Mas os fatos vêm de encontro a nós demore ou não. Você pensou em mim.

- O que teria sido caso nosso romance ainda existisse? - Você perguntou a si mesma.
- Eu continuaria cego. - Respondi.

Mas você ainda pensa em meus beijos, eu sei porque ontem à noite, na minha cama senti.

Penso em você sim, quando resolvo me arrepender de ter perdido tanto tempo, mas só então descubro que o tempo não foi perdido, embora você não seja construtiva, eu aprendi comigo mesmo dentre outras coisas, a amar com cautela. Isso às vezes me mata, mas é bom ter o prazer de nascer todos os dias.

Frígida

  • 0
Acostumei-me com seu jeito frio
Encarei o brilho que só eu vi
Tranquei-me em silêncio profundo
Olhe para ti, linda.

Ninguém mais fala nada
Ninguém condena, desaforados.
Teu calor intrigante me desfez por completa
De todos os laços desacreditados.

Olhe para mim linda,
Não sinta minha falta
Estou aqui para você
Sem a completa ousadia,
Que a tanto torcia para apaixonar-se.

Não me entenda querida,
Una teu laço peito ao meu
Com um amor profundo e inquietante
Que nos deixe loucos de amor concomitantemente.

Esse Vão

É isso que me deixava igual a você
O vão que cortava nossos caminhos
Foi deixado para trás
Mas não esqueci de quando nos amávamos.

Seu grito foi lavado
Do fundo da alma, amargurado
Perdeu-me fácil querida!

Mesmo assim, uma agonia me toma
Quando passas por perto
Minha mente sai de seu estado
Entra em total desarmonia
Com meus órgãos desacostumados
A uma nova moradia.

Parecia ser para sempre,
Mas o sempre acaba a cada chuva forte
Que me deixa triste como nunca
E sem paciência para sonhos.

Seu brilho se perdeu
Nos cantos cheios de imundice
Nas ruas alagadas que você não desafogou
Em prantos soluçantes
Que a pena atrelou.

Os Bois

  • 3
Na noite passada tudo foi apressado, eram muitas pessoas de lá para cá, avisadas do que acontecera. Menos eu, que inocente permanecia intacta e calada.

Eram apenas bois avulsos que amedrontavam sem querer.
Tadinhos! Não mereciam tal mal comportamento a eles declarado.

O que se fizeram dos homens?
Antigamente as coisas eram um pouco melhor.
Oh Argo, meu animal. A ti amava mais do que a um batalhão.

Me visitastes e salvara meu eu da ira explicável de seus irmãos.

E os bois cairam em um sono profundo. Nunca mais escutei a respeito.

Romeu e Julieta

É sempre muito bonito essas histórias impagáveis de amor. Sempre acontece o mesmo e é isso que não me conforma. Fiquei triste pelo Romeu e pela Julieta, mas é a única história que me vem a memória onde os protagonistas não são felizes para sempre. Embora mesmo assim, acho que o Romeu está até hoje aos afagos com sua mocinha.

O Romeu está feliz agora, e seu futuro reserva belas sensações. E não é o vento que levará as expressões desse moço invejável.

Lá vem ele com seu cavalo branco, pede apenas um pouco de atenção e é atendido pela bela Julieta. Vão ao parque de mãos dadas e suas familias avisadas muito se importam, é o casamento que não deixa suas cabeças sossegadas.

Tiveram filhos e netos, são o próprio amor.

Eles nasceram no século XX por isso a Julieta acabara de por numa mochila a comida caseira dos netos que estão em sua fazenda. Vão com o pai a escola, fazem provas e estudiosos as crianças não decepcionam.

A noite vem e a lua cheia ilumina seu bosque, como em um conto de fadas.

Foram felizes para sempre.

Alado

Não há mais nada que faça
O cavalo voltar,
Ele está sozinho e perdido em você.

Não há mais nada que faça
O cavalo voltar,
Ele se escondeu bem em você.

Querida por que faz isto?
Desiste de tentar pousar
Em seu sonho perfeito.

Não há mais nada que faça
O cavalo voltar,
Ele corrói meu último amor.

Não há mais nada que faça
O cavalo voltar,
Estou bem agora sozinha como ele.

Querida por que faz isto?
Não vês que me consome
Com essa inconstância?

Não há mais nada que faça
O cavalo voltar,
Não há mais nada que faça
O cavalo voltar,
Ele perdido está.

Pense Bem

Se você corre atrás de um sonho
Que o vento insiste em derrubar
E seu suor ameaça cansar
Você foi rápido aparar.

Se suas calças rasgadas
Ameaçam conserto
Sem dó, seu pé está preso
E a água sobe ligeiramente
Não há como escapar
Até o último fim.

Fique de olhos abertos
E quando uma gota de cansaço
Imundo te afligir
É só porque ela não sabe agir
Com quem não conhece.

Se não conseguiu se livrar
Encurralado como boi
Que até a fuga deu errado
Do curral do seu cercado qualquer
Embaixo de um pinheiro interno
Onde a sombra insiste em naufragar.

Pense no que fazer,
Pense bem.

Amor por Sofrer

  • 0
Dei dois passos pro ar
Tentando encontrar
Algo secreto
Que nem eu sabia o que.

Tantas vezes amei sozinho
Tentei gostar de outras pessoas
Algumas vezes consegui
Outras desisti.

Ocasiões perfeitas foram criadas
Por mim e mais alguém
Meu corpo arde em febre
Agora escuto baixinho declarações
Será alucinação?

Discuti com muita gente
Amar de forma diferente
Minha caltela parece não ter fim,
Sim! Sofrer por amor é um fato
Amar já deixou de ser abstrato.

Acho Que...

  • 0
Fui passear - te procurar
Ganhei um ar - extra
Me fez amar - você também
Me perdi - encontrei o mar
Numa estrada - segui caminho
Sem destino - com você
Com amor - às vezes sem
Vivi bem - você também.